Sistemas de produção de leite para diferentes regiões do Brasil

Em 2010 a produção mundial de leite foi de 695,7 bilhões de litros, dos quais o Brasil contribuiu com 4,42% ou 30,7 bilhões de litros. Entre 2000 e 2010 a produção cresceu em média 4,4% ao ano, a segunda maior taxa anual de crescimento do mundo. O primeiro lugar foi da China, com 17,61%.

Por outro lado o Brasil se destacou também como o país onde grande quantidade de fazendas abandonou a atividade leiteira. Neste período, em média, 3,2% dos produtores de leite migraram para outras atividades agropecuárias. Entre os maiores produtores mundiais é o primeiro em crescimento na quantidade de vacas por fazenda, com 5,3% por ano e o primeiro em crescimento relativo da produção por estabelecimento. Em produção por vaca é o quarto com maior crescimento indicando que a tecnologia de produção vem evoluindo rapidamente, sobretudo na questão da genética, nutrição e manejo. Os dados apontam o Brasil como promissor para continuar crescendo em tecnologia e produção de leite.

O tamanho da fazenda ainda é pequeno em comparação com outros países, no entanto as fazendas brasileiras estão crescendo em termos de volume individual de produção. Para competir no mercado internacional o país precisa se adaptar às transformações tecnológicas e de mercado, sobretudo em eficiência produtiva e qualidade da produção. Os cenários apontam nesta direção. O crescimento geral da renda per capta na maioria das regiões do mundo vai pressionar a expansão rápida da oferta. As mudanças de hábitos e a maior conscientização dos consumidores vão pressionar cada vez mais o aumento de qualidade.
Para competir neste cenário, os produtores brasileiros têm grandes desafios pela frente. O aumento de produtividade dos fatores, a redução dos custos de produção e a melhoria de qualidade dos produtos finais são questões que precisam ser focadas por todos os agentes da cadeia produtiva.

As transformações socioeconômicas verificadas nos cenários nacional e internacional levaram o setor agroindustrial brasileiro e, em particular, a cadeia produtiva do leite, a buscar uma reestruturação que permita alcançar níveis de eficiência para garantia de sua competitividade e sustentabilidade.

A organização da informação e o acesso aos acervos tecnológicos são essenciais para a orientação dos produtores de leite, visando capacitá-los para a gestão empresarial de sua unidade de produção e, assim, permitir o alcance de maiores níveis de produtividade e qualidade da matéria-prima.

A Embrapa Gado de Leite, por ocasião da comemoração de seus 35 anos de existência, apresenta uma versão atualizada de uma série de quatro documentos destacando as principais tecnologias passíveis de serem aplicadas aos sistemas produtivos das Regiões Sudeste, Mata Atlântica, Meio-Norte e Semiárida.

As Comissões Editoriais destes quatro documentos têm o prazer de disponibilizar informações relacionadas aos principais fatores da cadeia produtiva do leite no Brasil, possibilitando que nossos empresários rurais possam usufruir plenamente das tecnologias disponibilizadas nestes documentos.

Duarte Vilela
Chefe Geral da Embrapa Gado de Leite
Juiz de Fora, Novembro de 2011